Automação Predial para Gestores de Facilities

Atualizado: Mar 30







A automação predial, ou mais conhecida como BMS, do inglês Building Management System, pode ser descrita como uma rede de controles mecânicos, elétricos e eletrônicos, acionados a partir de um sistema de controle central. As principais possibilidades do uso do BMS incluem sistemas de automação locais entre eles mecânicos, especialmente Ar Condicionado (temperatura, abertura e fechamento de reguladores automáticos de vazão , entre outros) e Iluminação.

O BMS integra os sistemas prediais e contribui para a eficiência energética das edificações. Embora existam dezenas de práticas recomendadas para os responsáveis por facilities, é importante conhecer os fundamentos do BMS: o que pode ser automatizado e interligado, e quais são os benefícios. A seguir estão relacionados os 3 pontos que as empresas devem saber sobre automação e BMS:

1) Economia de energia - Além da automação possibilitar o controle dos sistemas das edificações, a maior vantagem é a economia de energia. Quando projetado corretamente, permite que os sistemas que mais consomem energia nas edificações (por exemplo HVAC e iluminação) tenham o melhor desempenho possível, ao mesmo tempo que garante que não haja desperdício de energia. Economizar energia por meio do aumento da eficiência dos sistemas resultará em menor OpEx (custos de operação).

2) Monitoramento remoto–o BMS permite o monitoramento remoto dos sistemas e equipamentos pelos gestores de facilities, mesmo quando estão fora ou distantes das edificações.Por exemplo, quando há algum defeito, os gestores podem monitorar o que está acontecendo e repassar informações para as equipes especializadas corrigir os problema se acompanhar as ações que serão adotadas.

3) Melhoria contínua–A partir do BMS é possível acessar dados de desempenho dos sistemas relacionados e identificar oportunidades de melhorias na eficiência energética das edificações. A possibilidade de compilar dados de determinados períodos pode ajudar os gerentes de instalações a identificar padrões de uso e ajustar os equipamentos de acordo. O que pode ser automatizado? Como essa automação melhora a eficiência energética dos sistemas?

Os principais sistemas prediais normalmente automatizados são: Sistemas mecânicos–Em chillers, torres de resfriamento, dry coolers, entre outros, peças como válvulas, bombas, etc., podem ser tanto automatizados localmente quanto via BMS para controle pelos gestores de facilities, buscando melhorar a eficiência energética.

Iluminação - Uma opção para automatizar a iluminação é a programação com base no uso de um da edificação. A iluminação também pode ser controlada por sensores que usam movimento para saber quando alguém entra em uma sala. Esses sensores também podem ter medidores de nível de luz que captam a quantidade de luz externa que entra em uma sala e, com as luzes LED adequadamente instaladas, podem diminuir o brilho das luminárias com base nos níveis de luz natural, entre outras possibilidades.

Funções de construção diversas - Existem dezenas de funções das edificações que podem ser automatizadas. Por exemplo, quando querem que uma entrada da edificação seja periodicamente aberta durante um determinado período. Essa porta pode ser definida para uma programação e ter os relés apropriados instalados para controlar esta ação. Quando essas três partes de um edifício são integradas para funcionar entre si (HVAC, iluminação, acesso ), há uma melhoria significativa na eficiência energética das edificações, bem como uma vida útil mais longa dos equipamentos. Quais são os problemas comuns que as edificações enfrentam quando se trata de BMS e como esses problemas podem ser resolvidos?

Ter vários sistemas de automação local que não conversam entre si é o maior problema que pode ocorrer.

Uma possibilidade frequente, é que com o passar dos anos, as edificações costumam ter várias empresas instalando produtos que não são compatíveis com o mesmo sistema de BMS . Assim, é importante ter uma empresa de manutenção parceira, que seja capaz de integrar os diferentes sistemas entre si, sem prejuízo para a performances dos sistemas e eficiência energética.

Outro grande problema é quando as empresas evitam permitir o acesso remoto aos seus sistemas BMS. Para obter o máximo do que foi instalado, é necessário permitir que os envolvidos na gestão de facilities tenham acesso pleno e consigam monitorar e fazer ajustes quando necessário.

Por último, é recomendável manter uma estrutura simples de BMS, antes de instalar um sistema mais complexo. O treinamento dos profissionais envolvidos para uso dos sistemas é fundamental. Esses sistemas podem se tornar muito complexos e as equipes das instalações podem não compreender como seus sistemas realmente operam.

Com equipes devidamente treinadas em automação predial, as edificações devem estar constantemente aptas a funcionar em uma tendência ascendente de eficiência para o benefício de todos os ocupantes. Fonte: Artigo traduzido e adaptado do site https://www.esmagazine.com/articles/101264-stuff-you-can-stop-worrying-about-the-basics-of-building-automation. A principal adaptação tange na diferenciação dos termos “Automação” e “Automação predial”. No texto traduzido, entende-se como automação um conjunto eletrônico que pode controlar localmente cada atividade e ou sistema , a evolução disso é a centralização das informações e desta interface homem maquina . O controle centralizado ( remoto ou não ) de diversos sistemas que possuem sua automação local e independente, foi chamado de BMS (Building Management System) no lugar de Automação Predial, assim procuramos deixar mais didático o texto traduzido. Tradução e adaptação: Ariel Gandelman Revisão Técnica: Felipe Raats Daud e João Carlos Correa

11 visualizações0 comentário