Balanceamento Hidrônico



Para alcançar o desempenho esperado em obras de HVAC-R, é fundamental que o Projeto e a Instalação sigam as melhores práticas de Engenharia e estejam em conformidade com as normas vigentes. É parte das boas práticas as etapas Balanceamento da Instalação, ainda que nem sempre sejam reconhecidas pelo mercado com a real importância relacionada.

O Balanceamento Hidrônico está relacionado as vazões de água e pressões do Sistema de HVAC instalado, ajustando e operando o balanceamento para que estejam em conformidade com o previsto em Projeto e instruções de fábrica dos equipamentos instalados, sendo fundamental para obter a melhor performance do sistema e para o sistema funcionar como projetado, porque garante a vazão correta de água para cada equipamento. Se o Balanceamento Hidrônico não for conduzido de forma correta e mantido, custos adicionais de operação e deficiência de desempenho em áreas específicas ocorrerão, e o ciclo de vida útil e estabilidade do sistema será reduzido.

De modo simplificado, podemos dizer que o Balanceamento Hidrônico pressupõe um ajuste adequado para a operação dos circuitos do Sistema, para que as vazões fornecidas estejam em conformidade com o projetado. Se isso não ocorre, a performance do sistema é afetada, assim como a eficiência energética e o conforto dos ocupantes.

Para o Balanceamento Hidrônico as ferramentas aplicadas são as Válvulas capazes de gerar perda de carga artificial. Quando corretamente posicionadas, distribuem o fluxo adequadamente no sistema, garantindo que todos os equipamentos recebam ou sejam contemplados com as vazões esperadas.



Desde os primórdios dos sistemas de HVAC, ferramentas de balanceamento se mostraram necessárias e foram aplicadas. Com o passar do tempo, uma grande gama de tecnologias foi desenvolvida, garantindo cada vez mais precisão aos Sistemas e permitindo o monitoramento em tempo real pelas equipes manutentoras e gestores de facilities, como é o caso das Válvulas oferecidas pela Oventrop, empresa associada a SMACNA no Chapter Brasil.

Nas últimas décadas foram feitos relevantes desenvolvimentos tecnológicos nas Válvulas de Balanceamento, que passaram de estáticas para dinâmicas, denominadas como independentes de pressão. Esta é uma evolução importante, porque a perda de carga introduzida no sistema pela válvula de balanceamento pode variar em função da pressão a jusante, a válvula de balanceamento independente de pressão possui recurso para compensar esta variação. O que implica que, sendo Válvulas motorizadas, com possibilidade de automação, elas permitem um balanceamento automático de fechamento e abertura delas, em função do rendimento e necessidades do sistema. Isso traz independência e precisão para o Sistema, além de oportunidades de eficiência energética, maior conforto dos usuários, redução de ruídos e segurança para a operação.



Autores: Ariel Gandelman e Thomas Spitzl (Galpão do Ar) Revisão Técnica: Felipe Raats Daud e João Carlos Correa

24 visualizações0 comentário