Renovação de Ar e Eficiência Energética



A renovação de ar adequada dos espaços, seja ela mecânica ou natural, já era um tema importante em Projetos e Instalações de HVAC. Mas, com a Pandemia do Covid-19, esse foi um tema que ganhou destaque, sendo mais do que nunca importante garantir a renovação de ar adequada dos espaços fechados, colaborando assim com a saúde dos ocupantes, minimizando a transmissão do vírus pelo ar.


Dentre as necessidades impostas pela Pandemia, a renovação de ar adequada dos ambientes ocupados é algo que pode ser uma herança positiva de toda essa situação. Não é somente o vírus Sars-CoV -2 que é transmitido pelo ar, outras doenças também são, além de melhorar a qualidade do ar interno e diluir a quantidade de quaisquer partículas suspensas no ar, entre outros.


O grande desafio para a renovação de ar mecânica ou natural adequada está na eficiência energética dos Sistemas. A renovação de ar implica na entrada de ar externo no ambiente interno. Quando este espaço é climatizado, a entrada de ar externo faz com que o Sistema de Climatização tenha que operar com maior capacidade, uma vez que o ar externo entra no sistema em temperatura superior (ou inferior em localidades que utilizam o aquecimento) do que o ar climatizado e geralmente com maior umidade. Com isso, a eficiência energética fica prejudicada, uma vez que há um maior consumo de energia elétrica para atingir as condições de temperatura e umidade previstas em Projeto.


Assim, se por um lado a necessidade de renovação de ar adequada para a saúde dos ocupantes e da edificação é fundamental, é um desafio alcançar a eficiência energética e a sustentabilidade dos Sistemas. Porém, isso não é impossível. O Projeto e Instalação de qualidade, e que sigam as boas práticas de Engenharia, encontram e adotam soluções tecnológicas com esse objetivo.


Uma das tecnologias possível de ser aplicada e que pode ser citada como exemplo, são os Recuperadores de Calor, que têm como principal função realizar a transferência de calor entre o ar externo que está entrando e o ar interno que está saindo, como forma de pré-resfriar ou aquecer o ar antes de ser conduzido ao equipamento de ar condicionado.


Quando utilizados corretamente, contribuem para a redução no consumo de energia elétrica, apesar da entrada de ar externo no ambiente.




Outra alternativa interessante de ser aplicada é o free-cooling, ou seja, a entrada exclusiva de ar externo nos Sistemas, desligando ou reduzindo os Sistemas de Climatização, sempre que a temperatura externa estiver mais fria do que aquela que está no ambiente interno. Com isso, se a Pandemia destacou a importância da Renovação de Ar para melhorar a qualidade do ar interno e aumentar a segurança de ocupação dos espaços, a busca por sistemas cada vez mais eficientes é fundamental. Para isso, é importante sempre contar com as Empresas Associadas a SMACNA Chapter Brasil para encontrar as melhores soluções para cada caso.

Neste momento de pandemia, as recomendações das entidades mais importantes do nosso setor é a utilização da máxima vazão possível de ar externo. Em contrapartida, conforme explicado ao longo deste artigo, essa ação aumenta o consumo energético. Desta forma, é necessário achar um ponto adequado onde temos menor consumo energético e ao mesmo tempo segurança contra a disseminação do Covid-19. Na sua opinião, qual é esse ponto adequado e como podemos obtê-lo? Autor: Eng. Ariel Gandelman Revisão Técnica: Felipe Raats Daud e João Carlos Correa


14 visualizações0 comentário